Bambuzinho-de-jardim (Drepanostachyum falcatum), características e usos

bambuzinho de jardim


Bambuzinho-de-jardim

Há várias espécies de bambus que podem ser plantadas no jardim, neste caso, a escolha sempre recai sobre as que são menos invasivas e que apresentam menor tamanho. Dentre essas espécies temos o bambu de nome científico Drepanostachyum falcatum e conhecido popularmente como bambuzinho-de-jardim, bambuzinho-amarelo, bambuzinho-do-himalaia, bambu-chorão-do-himalaia e bambu gracilis.

Esse bambuzinho é de origem asiática, nativo de florestas do Himalaia, portanto, muito utilizado em jardins orientais. Porém, vem ganhando cada vez mais terreno nos jardins tropicais devido ao grande efeito ornamental que proporciona, trazendo muita beleza e leveza para o ambiente.


Um fato interessante é que os brotos desse bambuzinho são cozidos e utilizados em um prato típico do Nepal. E suas varas também são usadas na região para fazer cestos, esteiras, etc.


Características do bambuzinho-de-jardim:

O bambuzinho-de-jardim tem colmos finos e longos que atingem 6.0 metros de comprimento, mas por ficarem arqueados, atingem de 2.0 a 4.0 metros de altura. A folhagem, formada em raminhos laterais nos colmos, é verde-clara, ganhando tonalidade amarelada a medida que vai envelhecendo, ou quando está plantado a sol pleno, e ainda em longos períodos de estiagem. Plantado a meia sombra, que por sinal é o ideal para essa planta, a folhagem fica mais vistosa, com tonalidade mais verdinha.


Esse bambuzinho pode ser plantado em regiões quentes como também em regiões onde o inverno é mais rigoroso, visto que em seu habitat de origem ele suporta temperaturas de até -10° C.


E mais uma característica que conta a favor desse bambuzinho, é que ele apresenta rizomas curtos, logo, sua brotação se dá na touceira, provocando adensamento, mas sem que saia do controle, pois as varas de bambu mais antigas vão morrendo, portanto, não é invasivo.


Formas de utilização do bambuzinho:

As formas de utilização são variadas; podem ser plantados em vasos, neste caso, terá altura menor. Mas o principal uso é na formação de renques junto a muros, paredes, e na formação de cerca-viva.

Quanto a manutenção, esse bambuzinho é muito resistente, mas para garantir a beleza de sua folhagem convém regar na época seca (inverno brasileiro), e plantado no jardim não é exigente quanto a adubação.

Eles podem ser podados a uma certa altura ou deixado ao natural, onde suas varas após atingirem a altura total, ficarão arqueadas criando um aspecto mais selvagem.

Seja qual for a forma de utilização, o bambuzinho-de-jardim será uma ótima escolha, pois remete à harmonia e leveza, ainda traz claridade através da sua tonalidade e encantamento por todas as suas características ornamentais.


Propagação do bambuzinho-de-jardim:

A propagação pode ser feita por divisão dos rizomas, um pouco trabalhoso, pois as raízes ficam entrelaçadas. Após plantado, deve ser regado diariamente até que surjam brotações, visto que nessa fase, não pode se desidratar. Após surgirem novas folhinhas, as regas devem continuar até que comecem surgir brotações do rizoma formado. Geralmente devemos manter as regas constantes por pelo menos 12 meses.

Outros bambus de jardim:

Existem ainda outros bambuzinhos um pouco similares quanto ao tamanho e aspecto e que são utilizados no paisagismo, dentre eles:

Drepanostachyum khasianum — conhecido como choro-do-himalaia e jade-roxo, essa espécie é do mesmo gênero e que mais se parece com o descrito nesse artigo; Otatea acuminata aztecorum  — conhecido como chorão-mexicano; Otatea glauca — de nome popular prata-maia.

Assista ao vídeo sobre esse belo bambuzinho-de-jardim:



2 Comentários

  1. aqui em meu jardim o Bambuzinho começou a soltar sementes por todos os galhos
    até parece que a planta se floresceu toda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Tonny! Esse meu também solta sementes, mas nunca nasceu espontaneamente, também nunca tentei reproduzir por essas sementes.

      Excluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem