Patos domésticos e sua origem

 

casal de patos


Patos domésticos

Pato é um termo genérico para várias aves da família Anatidae, mas aqui no Brasil, usamos essa denominação simples, somente para nos referirmos ao pato de carúnculas vermelhas ao redor dos olhos, o popular, pato doméstico (Cairina moschata domesticus), enquanto as outras espécies da família são chamadas de pato-mergulhão, marreco, pato-mandarim, pato-carolino, e por aí vai. Já em muitos países, o termo pato é referente aos marrecos e mais algumas aves, por exemplo, o Pato Donald do desenho animado é um marreco. Então, o que aqui chamamos de pato, em Portugal é conhecido como pato-mudo; na Espanha pato criollo; pato muscovy na França, e; muscovy duck em países de língua inglesa, como forma de diferenciar dos demais.

Os patos domésticos são aves criadas, na maioria das vezes, para a finalidade de abate devido sua carne ser considerada uma iguaria nobre. Mas também há muitas pessoas que criam apenas como aves ornamentais e de estimação, e ainda para obtenção de ovos.

Acredita-se que os ovos de patas sejam mais ricos em nutrientes do que os de galinhas, mas o teor nutricional dos ovos está ligado diretamente ao tipo de criação e alimentação que as aves consomem. Por exemplo, ovos de patas que são criadas soltas, onde encontram alimentação natural em abundância, certamente seus ovos serão de excelente qualidade. Já ovos de patas criadas presas, a qualidade dependerá de uma alimentação rica fornecida pelo criador. Mas em geral, ovos de pata em comparação aos de galinha, apresentam casca mais dura, gema maior, clara mais espessa e com consistência gelatinosa.

Alimentação dos patos

Os patos necessitam de uma alimentação muito rica em nutrientes, principalmente proteínas, fósforo, cálcio e sódio. Sua alimentação natural é muito variada e consiste de vegetação aquática e raízes, alguns anfíbios (cobra-cega), moluscos (caracol, caramujo, lesma), artrópodes variados (camarão, lacraia, gongolo, barata, formiga cortadeira, borboleta, abelha, etc.) e pequenos peixes.

Além de todos esses recursos alimentares, pode-se dizer que a principal forma de alimentação dos patos, é através da filtragem da água ou da lama de ambientes aquáticos, visto que eles passam grande parte do dia buscando alimento desta forma. O bico dos patos é apropriado para cavar lama e ainda fazer a filtragem através de lamelas nas laterais. Então eles sugam a lama pela frente em busca de organismos que vivem nesse ambiente (fauna bentônica) e, o que não servir, é descartado pelas laterais do bico. Mas patos criados presos, toda essa alimentação natural se torna escassa, sendo preciso compensar com ração, milho e restos de verduras.

lamelas do bico do pato
Lamelas do bico

Mas afinal qual é a origem do pato doméstico?

O pato doméstico é descendente do pato silvestre Cairina moschata, espécie originária da América Central e América do Sul, ocorrendo desde o México até a Argentina. Muitas vezes chamados de pato-do-mato, e ainda pato almiscarado, ele é nativo de algumas regiões do Brasil. Há relatos que foram domesticados por indígenas antes da chegada dos colonizadores europeus na América e, posteriormente, levados por esses colonizadores para Europa ainda no século XVI.

Normalmente o pato-do-mato habita riachos, lagoas, manguezais e pântanos próximos de áreas florestais. Geralmente é visto sozinho ou em pequeno grupo de até 15 indivíduos. Diferente dos patos domésticos, sua plumagem é somente na cor preta, com reflexo metálico esverdeado nas asas e manchas brancas que são mais visíveis quando estão com asas abertas ou quando as aves estão voando.

Hoje, esses patos silvestres são protegidos por leis ambientais, não sendo permitido a caça e mesmo a criação sem autorização do IBAMA. Mas há muitos relatos de que alguns patos silvestres acabam por visitar sítios onde se criam patos domésticos, havendo o cruzamento entre aves e gerando patos mestiços.

bando de pato silvestre
Pato silvestre (Cairina moschata), foto: berniedup 

Através dos patos domesticados foram desenvolvidas quatro linhagens principais com a finalidade de melhoramento genético para a produção de carne e maior postura de ovos, que são o paysandu, o crioulo, o gigante alemão e o moscovy.

  • O paysandu é uma linhagem que foi desenvolvida no estado do Pará. As aves são principalmente na cor branca.
  • O crioulo é uma linhagem melhorada geneticamente, principalmente na região norte do país. As aves são brancas ou brancas com manchas pretas, apresentam carúnculas médias.
  • O gigante alemão é uma linhagem desenvolvida no sul do Brasil por imigrantes de origem Alemã. Os patos são malhados entre branco e preto, possuem carúnculas bem desenvolvidas.
  • E por fim, o moscovy, aves melhoradas geneticamente na Europa. Esses patos podem apresentar penas da cabeça (topete) mais longas do que as outras linhagens.
Hoje, esses patos domésticos são criados em vários países ao redor do mundo, até pelo fato de ser uma ave muito rústica, resistente a diversas condições climáticas e a doenças. Apresentam cores variadas (branco, preto, malhados de branco com preto, marrom, lavanda), e todos são descendentes do pato silvestre Cairina moschata.

Pato doméstico
Pato doméstico


Referência:

RUFINO, J. P. F.; CRUZ, F. G. G.; OLIVEIRA FILHO, P.A.; COSTA, V. R.; FEIJÓ, J. C.; ROCHA, B.L.
Classificação Taxonômica, diferenças fisiológicas e aspectos nutricionais de marrecos e patos no Brasil, Rev. Cient. Avic. Suin; v.3, n.1, p.020-032, 2017
 
Wild Muscovy Pucks
http://www.greatnorthern.net/~dye/wild_muscovy_ducks.htm

2 Comentários

  1. Fabio único canal em que tive confiança foi o seu,ganhei um marreco mandarim,e vi que o que disse no seu vídeo de como amansar pato é o que ele tem,arisco,com medo, assustado,e novo creio que tem um ou dois meses,mas super manso quando pega ,não bica não faz nada. Se seguir as dicas do pato será que ele vira meu amigo,pois quero ele dentro de casa como nosso animalzinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim amigo, é possível, tem que ter muita paciência e não desistir, são aves maravilhosas!

      Excluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem