Macela: características e propriedades medicinais

maço-de-flores-da-macela


Família - Asteraceae Bercht. & J. Prest.

Gênero - Achyrocline (Less.) DC.

Nome científico - Achyrocline satureioides (Lam.) DC.

Origem - Nativa do Brasil

A macela é uma planta medicinal muito consumida na forma de chá devido aos benefícios para a saúde. Ela ainda pode ser conhecida como marcela, macela-do-campo, macela-miúda, macelinha e paina.

Esses nomes populares são dado a algumas espécies bem semelhantes pertencentes ao gênero Achyrocline e que compartilham muitas propriedades terapêuticas, entre elas a espécie Achyrocline satureioides. 

Descrição da planta macela:


macela-com-porte-herbaceo-no-solo
Achyrocline alata, espécie semelhante a Achyrocline satureioides

A planta é uma erva perene e aromática encontrada em áreas abertas, pastagens, bordas de matas e campos rupestres da Bahia ao Rio Grande do Sul, além de outros países da América do Sul.

Possui porte de até 1 metro de altura, com ramos e folhas de cor verde e pubescentes, mas devido aos pelos esbranquiçados e de consistência lanosa acabam aparentando tonalidade acinzentada a turquesa. As folhas são simples, alternas, de formato linear a lanceolado, possuem somente uma nervura e pilosidade nas duas faces.

A inflorescência é em capítulo e reunida em panícula corimbosa, possui a cor amarelo-pardo a amarelo-dourado com flores femininas e hermafroditas. O fruto é do tipo aquênio de 0,5 a 1,5 mm de comprimento e arredondado.

Como fazer mudas de macela:


A macela propaga-se por sementes e por estaquia de partes mediana e apical do caule. As sementes perdem rapidamente o poder germinativo, logo devem ser semeadas o quanto antes em substrato formado por uma mistura de solo, areia e esterco curtido tanto para canteiros como para vasos.

Essas sementes necessitam de luz solar para germinar, e após adulta a macela é tolerante ao sol pleno e estresse hídrico.

Benefícios da macela:


folhas-longas-e-estreitas-da-macela
Folhas da macela cobertas por penugens esbranquiçadas

A macela proporciona muitos benefícios devido ao aroma das suas inflorescências e propriedades terapêuticas. Por conta disso, ela é empregada no enchimento de travesseiros, almofadas e outros acolchoados, além de usos na fitoterapia, aromaterapia e indústria de cosméticos, principalmente como clareador de cabelo.

Inclusive a espécie Achyrocline satureioides é reconhecida como planta medicinal pelo Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira, 2º edição da Anvisa, onde contém informações de usos e contra indicações.

O chá de macela possui sabor amargo devido aos compostos fenólicos glicosídeos e flavonoides. É feito com infusão das flores, ou com folhas e caule, para tratar cólicas, gases, gastrite, diversos problemas estomacais, bronquite, reumatismo, dores, nevralgia, como anti-inflamatório, sedativo e outros.

Devido a esses usos populares, vários estudos laboratoriais foram realizados afim de averiguar as suas propriedades medicinais, confirmando que as partes aéreas da planta possuem ação antioxidante, analgésica, anti-inflamatória, antitumoral, antiviral, hepatoprotetora, sedativa, antiespasmódica, antiulcerogênica, digestiva, carminativa, entre outras.

Como os estudos feitos na Argentina por Kadariam e outros pesquisadores (2002), onde o extrato aquoso das flores e folhas demonstrou atividade digestiva e protetora do fígado nos testes realizados com ratos.

Já Iturrioz fez estudos no Uruguai (2016) com animais submetidos a elevado colesterol, constatando que o extrato das flores de macela reduziu o colesterol total, triglicerídeos e colesterol LDL, e aumentou o colesterol HDL

O mesmo pesquisador ainda conclui que a macela apresentou significativa atividade neuroprotetora, mas destacando que nos seus experimentos com ratos o tratamento menos prolongado com a planta foi o que apresentou melhor resultado contra isquemia.

A toxicidade aguda da macela foi pesquisada por Rivera e sua equipe (2004) através do extrato aquoso administrado em ratos, chegando a conclusão que o extrato é seguro quando obtido de infusão a 2% por não ter apresentado toxicidade por via oral. 

Outras pesquisas são referentes as atividades antimicrobiana, com resultados eficazes contra algumas bactérias causadores de problemas gastrointestinais e contra o vírus de herpes.

Também foi constatado em laboratório que o extrato das flores inibiu o crescimento de células carcinogênicas e possui atividade repelente de insetos, além de outros estudos.

Apesar de muitos benefícios, a macela não é indicada para gestantes e lactantes, e como toda planta medicinal também não é recomendável o consumo prolongado devido aos variados compostos que ela possui..

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem