Publicidade

Cabeludinha (Myrciaria glazioviana): uma fruta comestível da Mata Atlântica

 

Frutas amarelas da espécie Myrciaria glazioviana

Família - Myrtaceae Juss.

Gênero - Myrciaria O. Berg

Nome científico - Myrciaria glazioviana (Kiaersk.) G. M. Barroso ex Sobral

Origem - Nativa do Brasil (Mata Atlântica)

A espécie Myrciaria glazioviana é uma planta nativa e endêmica do Brasil, ela ocorre somente na Mata Atlântica, e é conhecida pelos nomes populares cabeludinha, peludinha (devido aos seus frutos possuírem penugem), ou jabuticaba-amarela pelos frutos apresentarem polpa que lembra a da jabuticaba.

Os frutos da cabeludinha são consumidos pela fauna silvestre e também fazem sucesso quando consumidos pelo ser humano, isso porque são muito saborosos e adocicados. Eles ainda são muito nutritivos, são ricos em vitamina C e também possuem compostos fenólicos antioxidantes.

Além dos frutos, as folhas também possuem importantes compostos orgânicos e até são usadas na medicina popular, principalmente contra inflamações. Devido aos registros da cabeludinha como planta medicinal os extratos das suas folhas e cascas já foram estudados afim de averiguar as propriedades da planta, e foram encontrados compostos com as propriedades: analgésica, anti-inflamatória, antioxidante, antiacetilcolinesterase, hepatoprotetora e antimicrobiana.

Características da cabeludinha


Ramo com frutas amarelas da planta cabeludinha
Frutinhos tomentosos (possuem penugem)

A cabeludinha é uma planta que pode ser encontrada em ambientes com solos bem drenados ou mais úmidos e apresenta melhor desenvolvimento como planta secundária, ou seja, sob a sombra de plantas maiores.

A planta é um arbusto que cresce de 3 a 6 metros de altura; geralmente apresenta múltiplos troncos; possui casca parda e fissurada; possui copa densa e irregular; os ramos são finos, rugosos e tomentosos apenas na parte apical; as folhas são curto-pecioladas, ficam arranjadas de forma oposta, possuem consistência cartácea, forma lanceolada ou elíptica, margem curvada para baixo, na face superior são lisas e com tricomas imperceptíveis, já na face inferior possuem nervura principal saliente e pilosidade que as deixam com textura aveludada.

A inflorescência é do tipo glomérulo e surge na axila foliar, apresenta flor séssil de cor branca com muitos estames; os frutos são pequenas bagas globosas, medem até 2,5 cm, possuem casca um pouco grossa, amarela e com penugem; a polpa é translúcida, suculenta e gelatinosa; a semente fica envolvida pela polpa e pode ser em número de 1 ou 2, possui formato de feijão, cor marrom e mede de 1,2 cm a 1,8 cm de comprimento. 

A frutificação pode ocorrer após o segundo ano de vida da planta e surge na estação da primavera. As sementes perdem a viabilidade germinativa em poucas semanas.

Como fazer mudas da fruta cabeludinha:


Mudas são feitas com as sementes que devem ser postas a germinar logo que colhidos os frutos. Para a germinação deve-se remover restos da polpa e como substrato pode ser utilizado somente areia lavada de rio.

O recomendável é manter à sombra e sempre irrigado, após 40 a 50 dias surgirão as plântulas que devem ser transferidas para saquinhos contendo terra rica em matéria orgânica para o seu desenvolvimento.

Fruta cabeludinha aberta evidenciando a polpa envolvendo as duas sementes
Polpa da cabeludinha ou jabuticaba-amarela

Ramo com folhas
Aspecto das folhas da espécie M. glazioviana

Planta cabeludinha carregada de frutas
Frutificação

Visão geral do arbusto com porte de 3 metros de altura e copa irregular
Aspecto do arbusto

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

publicidade