Árvore Erythrina crista-galli

 

botao-floral-da-erythrina-crista-galli-de-cor-rubro


Corticeira-do-banhado


Nome científico - Erythrina crista-galli L

Família - Fabaceae

Origem - nativa do Brasil

A espécie Erythrina crista-galli é conhecida popularmente como corticeira-do-banhado, eritrina-crista-de-galo, suinã, sananduva, árvore-de-coral, mulungu, ceibo (em espanhol), entre outros nomes.

Além de ser nativa do Brasil, ela também ocorre na Argentina e Uruguai. No Brasil está presente em parte do centro-oeste (DF, MT, MS), nos biomas Cerrado e Pantanal; no sudeste (MG, RJ, SP) e todo o sul do país, nos biomas Mata Atlântica e Pampa. 

Características da eritrina-crista-de-galo


arvore-eritrina-crista-galli-com-seu-tronco-retorcido

Árvore pioneira, caducifólia, com característica de vegetar em áreas úmidas e alagadiças, como brejos, várzeas, pântanos, beira de lagos e rios. Possui porte pequeno, até 10 metros de altura, com tronco e galhos retorcidos, de casca grossa e de cor acinzentada. A folha possui pecíolo com espinhos, é trifoliada, com folíolos elípticos a oblongo-lanceolados.

A floração pode ocorrer de setembro a dezembro, com flores dispostas em racemos na ponta dos ramos, após abertas duram cinco dias e são de tonalidade róseo-vermelhas, ou raramente brancas. O fruto é uma vagem oblonga e curva, de 20 centímetros de comprimento, e geralmente com até sete sementes no seu interior que são comumentes atacadas por brocas.

A propagação da E. crista-galli pode ser feita pelas sementes, que devem ser levemente escarificadas e postas de molho na água durante 48 horas para quebra da dormência. Também pode ser feita por estaquias, sendo preferencialmente de plantas jovens por apresentarem maior probabilidade de enraizamento.

Propriedades medicinais da Erythrina crista-galli

flores-avermelhadas-dispostas-no-racemo-da-eritrina

A corticeira-do-banhado, do mesmo modo que os outros mulungus, apresenta algumas propriedades terapêuticas nas suas folhas e cascas. Essa espécie vem servindo ao uso popular como antisséptico, antimicrobiano, adstringente, anti-inflamatório, antitussígeno, analgésico, sedante, contra infecções da garganta, gripe, gastrite, diarreia, hemorroida, reumatismo, dores musculares, hepatite, insônia e para curar feridas.

Nas suas partes vegetais e reprodutivas foram encontrados fenóis, flavonoides, esteróis, alcaloides, saponinas e outros. Extratos isolados das folhas, cascas e sementes confirmaram atividades anti-inflamatória, antioxidante e sedativa. E tanto os extratos brutos como os compostos isolados extraídos das cascas da eritrina-crista-de-galo apresentaram alto potencial antimicrobiano contra bactérias e fungos testados por Ávila (2013) em condições laboratoriais.

Obs: A página nossafloranossomeio não orienta quanto ao uso de plantas para o consumo e tratamento de doenças, apenas divulga estudos científicos e usos populares já existentes.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem