Vitória-régia: a gigante planta aquática da Amazônia

 
Folhas-da-Vitoria-régia-e-sua-bela-flor



Vitória-régia (Victoria amazonica)

Família - Nymphaeaceae

Gênero - Victoria

Nome científico - Victoria amazonica

Nomes populares - Vitória-régia, jaçanã, rainha-dos-lagos, aguapé-assu, nampé, uapé, milho-d'água

A vitória-régia é uma planta aquática que causa encantamento devido as suas gigantes folhas que se parecem com enormes bandejas.

Essa planta é nativa da região amazônica, onde habita ambientes de águas calmas. Pertence à família Nymphaeaceae, a mesma das ninféias, que são outras plantas aquáticas bem menores.

O nome científico é Victoria amazonica, tendo o nome do gênero "Victoria" como homenagem a rainha da Inglaterra. No século XIX, botânicos em expedição a Guiana, que na época pertencia aos ingleses, levaram exemplares para o Reino Unido, onde a planta foi descrita e nomeada de Victoria regia. Anos mais tarde foi mudado para Victoria amazonica para estar de acordo com a nomenclatura botânica.

Características:


flor_da_vitoria_régia_com_espinhos_no_pedunculo


A vitória-régia é uma planta herbácea, aquática e espinhenta. Vive fixada pelos seus rizomas e raízes no fundo de ambientes aquáticos de pouca correnteza, como as várzeas e igapós da região amazônica.

Suas enormes folhas chegam a medir até 2 metros de diâmetro, ficam flutuando na superfície, possuem bordas viradas para cima, cor verde na face superior e roxa na inferior. Por baixo, elas possuem nervuras com longos espinhos e espaços internos como dutos para circulação de gases, o que também favorece a flutuação.

As folhas são levadas até a superfície por longos pecíolos espinhentos. São folhas muito resistentes, podem suportar o peso de até 40 quilos. Por esse motivo, alguns animais como, aves e pequenos jacarés, aproveitam para repousarem sobre essa estrutura.

Outra parte da planta que causa deslumbramento, são suas flores. A flor quando se abre pela primeira vez é feminina e na cor branca. Ao iniciar a noite, a temperatura interna da flor aumenta até 11 graus acima da temperatura ambiente, fazendo com que se abra e exale um aroma adocicado que chega a longas distâncias. Esse aroma atrai um pequeno besouro que é seu principal polinizador e que traz pólen de uma flor macho.

Passado a noite, a flor se fecha pela manhã e reabre somente no próximo anoitecer. Mas dessa vez, por ter sido polinizada, há uma mudança de sexo e cor, ela estará na cor rosa e transformada em flor macho produzindo pólen.

Portanto, a flor da vitória-régia possui os dois sexos, mas as partes femininas ficam férteis na noite anterior às masculinas.

O período de floração tem duração de dois dias, após, a flor afunda dando inicio a formação e maturação do fruto espinhento. Quando amadurece, o fruto flutua algumas horas para que suas sementes sejam levadas pela água.

Utilidades:


Como planta ornamental, está presente em jardins botânicos mundo afora; em lagos de jardins públicos e até mesmo particular, necessitando que sejam grandes e tenham boa fertilidade.

Para fins de consumo, da vitória-régia são utilizadas várias partes. Das suas sementes são feitos pipoca, farinha, mingau e paçoca; as flores são usadas para saladas e geleias; os caules e rizomas para outras iguarias.

Assista ao vídeo da Vitória-régia:



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem