Publicidade

Tabebuia rosea: o ipê-de-el-salvador

 
Cacho de flores do ipê-rosa (Tabebuia rosea)

Família - Bignoniaceae Juss.

Gênero - Tabebuia Gomes ex DC.

Nome científicoTabebuia rosea (Bertol.) Bertoro ex A. DC.

Origem -  exótica no Brasil

A espécie Tabebuia rosea é o ipê-rosa originário de florestas e savanas de alguns países da América Latina, essa árvore ocorre de forma nativa desde o México e América Central até o Equador na América do Sul.

No Brasil esse ipê-rosa é uma espécie exótica, ou seja, ele foi introduzido no país para fins paisagísticos devido a proporcionar excelente sombra e por sua floração muito vistosa e hoje está presente na arborização de muitas cidades, principalmente as do sudeste e centro-oeste. Porém essa árvore não deve ser plantada sob fiação elétrica e em calçadas estreitas devido ao porte grandioso que ela pode alcançar.

Essa espécie é considerada a árvore nacional de El Salvador e por isso aqui no Brasil ela acaba sendo chamada popularmente de ipê-de-el-salvador, além de ipê-rosa. Já nos outros países latinos é chamada de guayacán rosado, apamate, roble de rio, palo colorado, palo de rosa, rosa morada, lapacho rosa, maculís, entre outros.

O ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea) muitas vezes é confundido pela população com as duas espécies brasileiras de ipê de flores rosas, que são as espécies de nome científico Handroanthus impetiginosus e Handroanthus heptaphyllus.

Ipê-rosa: características


Folha do ipê-rosa de cor verde escura e com grandes folíolos
Folha digitada com 5 folíolos glabros

A espécie Tabebuia rosea no meio urbano apresenta porte entre 12 a 25 metros de altura e tronco com 80 a 100 cm de diâmetro; a casca externa é cinza escura, grossa e com fissuras longitudinais; a folhagem é caduca a semicaduca na estação seca; a folha é composta digitada, possui longo pecíolo de aproximadamente 25 cm e peciólulos de tamanhos variados entre 1 cm a 10 cm ou mais.

A folha possui 5 folíolos elípticos e de tamanhos desiguais, sendo o do meio geralmente maior e medindo entre 25 a 30 cm de comprimento, são glabros, sem pelos, com margem inteira, de cor verde mais escuro na face superior e possuem consistência coriácea, a base dos folíolos é arredondada ou cuneada e o ápice é agudo ou acuminado. 

O ipê-de-el-salvador possui inflorescência em racemo terminal onde são gerados cachos de flores rosadas com 5 pétalas; o cálice da flor é bilabiado; a corola é rosa claro com a garganta amarela e afunilada. Essa espécie floresce tanto com a árvore totalmente despida da sua folhagem como com a presença de parte da folhagem como muitas vezes é visto. No Brasil o florescimento começa na estação seca, que coincide com o inverno, podendo ocorrer também durante a primavera (em meados de agosto a outubro).

O fruto do ipê-rosa é do tipo vagem cilíndrica e linear, mede aproximadamente até 40 cm de comprimento, e no seu interior estão as sementes esbranquiçadas e aladas que são dispersadas pelo vento.

Ipê-rosa florido com a presença parcial da sua folhagem
Tabebuia rosea florida

Cacho de flor do ipê-rosa em meio as folhas verdes
Floração do ipê-rosa-de-el-salvador

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem