Saiba por que os brejos devem ser preservados

 
Brejo com solo saturado e coberto com vegetação enraizada no sedimento lamacento


Os brejos são áreas encharcadas  de grande importância ecológica devido aos vários benefícios que proporcionam e, por conta disso, são considerados áreas úmidas de preservação permanente.


Ao contrário do que muitas pessoas pensam as áreas brejosas são um ecossistema muito importante, mas infelizmente o que muitas vezes presenciamos é a destruição dessas áreas, tanto por pessoas mal informadas sobre os seus benefícios quanto pelas que não se sensibilizam e ignoram as causas ambientais. Sendo assim, importa saber as características e os benefícios de um brejo para que essas áreas sejam identificadas e preservadas.

Como é um brejo?


brejo com olho d'água e vegetação de plantas aquáticas emersas
Brejo com vegetação típica e olho d'água perene

Um brejo pode ser formado em terreno plano com ou sem escoamento da água que aflora do subsolo, ou em um vale onde as características do relevo forma uma bacia natural impedindo o escoamento superficial da água. Esse ecossistema possui solo com pouca profundidade, pobre em oxigênio e lamacento devido a proximidade do lençol freático que o torna permanentemente saturado através do afloramento da água subterrânea. Na área mais encharcada pode ocorrer ou não uma rasa lâmina d'água cobrindo a superfície do solo, esse local não oferece sustentação ao peso por exemplo de animais de médio a grande porte que podem ficar atolados caso adentrem nessa área, como as vezes acontece com gado que pastoreia por perto.

A vegetação presente nos brejos é formada por espécies de plantas que muitas vezes só ocorrem nesses locais devido ao longo do seu processo evolutivo terem sido adaptadas a viverem nesses condições ambientais, como as macrófitas aquáticas: taboa, junco, mureré, aguapé-mirim, ninféia, lentilha-d'água, etc.

já no entorno do brejo onde o solo é úmido mas não encharcado ocorrem herbáceas como o picão-da-praia, tiririca-do-brejo; espécies arbustivas como assa-peixe-roxo, fruta-do-sabiá, fruta-do-sanhaço, falso-jaborandi, eritrina-candelabro, entre outras; e também espécies arbóreas como aroeira, embaúba, sangra-d'água, ingá, capororoca e muitas outras que podem variar conforme as regiões do país.

Nos brejos também está presente a vida animal, esses locais servem de habitat para rãs, sapos, pererecas, muçuns, moluscos, insetos e aves como a saracura.

O termo brejo também é empregado para denominar ilhas de florestas serranas úmidas que possuem elevada altitude e precipitação hidrológica e situadas entre áreas de caatinga no semiárido brasileiro, os chamados brejos de altitude, no entando trata-se de um ecossistema com características diferentes do brejo abordado nessa publicação.

Benefícios dos brejos


brejo situado em um vale entre morros e coberto com vegetação taboa
Brejo coberto com taboa em um vale

Para haver preservação é preciso levar ao conhecimento os benefícios ambientais que essas áreas úmidas proporcionam, entre os quais podemos destacar:
  • Garantem a manutenção da biodiversidade; como já visto, os brejos servem de habitat para espécies de plantas e animais que podem ser exclusivos ou não dessas áreas úmidas. Muitas espécies animais dependem dessas áreas para a sua reprodução.

  • Ajudam na regulação do clima; esses locais ajudam amenizar as altas temperaturas e no equilíbrio do ciclo hidrológico devido a grande umidade com permanente evaporação de água .

  • Mantêm a disponibilidade de recurso hídrico; os brejos são como esponjas com água, ou seja, armazenam água e liberam lentamente mantendo esse recurso hídrico disponível de forma permanente.

  • Formam nascentes; os brejos podem conter uma nascente que escoa superficialmente a água subterrânea límpida e rica em minerais, formando um córrego ou riacho que acaba diluindo pelo seu trajeto o esgoto da comunidade e alimentando com água um rio maior.

Com todos esses benefícios, entre outros, resta ressaltar que os brejos são Áreas de Preservação Permanente protegidos pelo Código Florestal Brasileiro (Lei n° 12.651/2012), devendo ser mantidos intactos, com sua vegetação preservada e sem pastoreio de animais num raio de 50 metros a partir da área permanentemente encharcada. Qualquer intervenção em um brejo sem a devida licença ambiental pertinente é enquadrada como crime ambiental.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem